Cozinhar e gerir, tudo a ver.

Prezados Leitores, Gerir bem uma empresa, tem muito a ver com o ato de cozinhar. Sugerindo uma análise através dessa parábola, podemos associar o bom gestor de uma empresa com a figura do excelente chef de cozinha. Qual o comportamento básico de um excelente chef, na composição de uma receita? A escolha da própria receita, seguida da escolha dos ingredientes, e após isso, o preparo do prato. Se algo falhar nessa sequência, compromete o sabor, a aparência e a qualidade do prato. Os cuidados nessas etapas é que difere o super chef de cozinha dos cozinheiros normais. Na frança, o berço da excepcional cozinha e lugar aonde o cidadão comum tem o paladar mais refinado, o grande desafio é o de fazer grandes receitas com o uso de ingredientes normais, até um pouco passados, estragados, que são cuidados e recuperados para se tornarem bons produtos e darem excepcionais receitas. Na empresa a coisa acontece nesse mesmo paradigma. O chef se manifesta na pessoa do gestor, os selecionados para serem admitidos como empregados são os ingredientes, a receita é a estratégia organizacional da empresa, é o mapa de onde se quer chegar, do lugar a ser conquistado no mercado, e o preparo dessa grande receita são as relações que irão permear esse relacionamento entre empregador e empregados. Se o gestor quer ser considerado um grande chef da gestão, deve escolher primeiro a receita, saber o que quer e aonde quer chegar, em seguida, selecionar bem os seus parceiros, os empregados, capacitando-os [se o ingrediente não é o adequado, capacite-o], e por fim, invista no preparo, sem passar obviamente do ponto do cozimento. Sds Marcos Alencar]]>

Compartilhe esta publicação

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email