<< voltar

SE NÃO VAI BEM, TROCA A GESTÃO!

Escrito por Marcos Alencar | Abril 5, 2019

Por Marcos Alencar 05/04/19.

Eu não gosto de futebol, mas aprendo muito com a tática do jogo e aplico no meu dia a dia, o que muitos presidentes de clube fazem quando o time não vai bem.

Muitas empresas poupam a substituição de líderes, e, ao invés disso, passam a trocar os jogadores – mas os resultados positivos não surgem.

Quando isso ocorre, a culpa, certamente, está no líder.

O bom líder (gestor) é igual a um técnico de futebol. Se ele é bom, na acepção da palavra, vai entender as capacidades do time, liderar, dar exemplo, fazer as escolhas certas para enfrentar os desafios dos adversos, colocando os subordinados nas posições mais adequadas.

Apesar de, repito, não entender quase nada de futebol – eu admiro muito o técnico “Tite”. O geminiano Adenor Leonardo Bachi, é o nome dele, é um mega gestor. Ah mas não vencemos a Copa do Mundo, ora, isso é detalhe, ele é para mim um exemplo de gestão, disciplina, dedicação e amor ao time.

Os soldados não vão para guerra por conta do soldo (tive essa conversa ontem com um grande amigo e também mega gestor), mas por amor a bandeira, ao ideal que defendem, pois não existe dinheiro na face da terra, que coloque um indivíduo no campo de batalha. A inspiração, a vocação, o amor, é que fazem isso acontecer.

O treinador Tite tem uma história linda, nasceu muito pobre, foi jogador e se lesionou cedo, se aposentou dos gramados mas não desanimou e com isso descobriu a alternativa de continuar nos campos de futebol, sendo hoje um admirável técnico.

Neste sentido e direção, é que os gestores precisam se guiar. São pessoas vencedoras, no campo próprio pessoal, que podem liderar e gerir equipes. Ninguém que não consegue se auto gerir, conseguirá apontar a mente dos seus comandados para a estrada de sucesso exigida pelas metas que se apresentam.

As empresas erram feio, quando – no primeiro sinal de que aquele setor não está dando certo – passam a trocar os menos graduados, os subordinados que nada decidem e nem escolhem! poupando os que mandam. Se o setor não funciona, eu aposto muito na culpa do gestor.

O bom gestor não fica em setor que não tem condições de funcionar, porque ele invoca o “guerreiro líder” que habita o seu interior e passa a não admitir o fracasso. O nome vale mais do que o dinheiro que se ganha. Naturalmente, ele vai buscar outras opções no mercado e abandonar o barco.

Em síntese, se a empresa dá condições e apóia as estratégias da gestão, e, se mesmo assim as coisas não andam bem, não funcionam, não perca tempo Sra. empresa e troque o gestor “ontem”, porque de gestão ele não entende nada.

O ato de gerir pessoas é complexo, mega complexo, porque elas mudam a cada segundo, cabendo ao gestor entender o momento e reposicionar a equipe, da mesma forma que o nosso querido Tite faz com brilhantismo.