<< voltar

A Ouvidoria e a OAB devem ir para o corredor.

Escrito por Marcos Alencar | Março 13, 2009

Prezados Leitores,

Inspirado num post [ link] abaixo, intitulado “efeito cnj” escrevo essa sugestão, vamos chamar assim, para que as Ouvidorias da Justiça do Trabalho, e também a OAB para que firmem uma base [ pode ser uma simples mesa com um estagiário atendendo ] nos corredores da Justiça.

 foto

O que busco com isso, é trazer a visão de tais órgão para perto do problema, para que sintam a rotina do foro trabalhista e as dificuldades e desrespeito  que são submetidas as pessoas que ali frequentam.

Imagine, vamos pensar grande, que em cada corredor existisse um estagiário da Ordem dos Advogados do Brasil e outro da Ouvidoria ou da Corregedoria, para receber – ali na hora “on line” – queixas, reclamações e sugestões, dos jurisdicionados e dos advogados. Quantas não seriam registradas hem?

Qualquer abuso poderia ser de imediato denunciado, como acontece [exemplificando] nos juizados cíveis especiais móveis que se instalam nos campos de futebol, projeto que é um sucesso [pelo menos em Pernambuco], e mais, a denúncia poderia ser nominada ou anônima, do tipo “disque denúncia” para que fosse preservada literalmente a cidadania, e após encaminhada para os citados órgãos.

Nada mais cruel do que nos depararmos, todos os dias, vou repetir, todos os dias, com histórias de servidores, de juízes, que resolvem transferir as suas frustrações e mau humor para as partes e advogados, para pessoas que foram ali contribuir com a Justiça, como é o caso das testemunhas, que são mal atendidas e tratadas, esperam horas, sem nenhum conforto, e nada acontece.

Muitos cedem a esse tipo de situação por desconhecimento dos seus direitos e também por receio de serem prejudicados nos seus processos.

Seria muito interessante que esse sonho se materializasse. Segue o link do excelente post que me refiro, acessem:

 http://http://diariodeumadvogadocriminalista.wordpress.com/2009/03/12/efeito-cnj/

Sds Marcos Alencar